Categorias
Sem categoria

O papel do salário emocional na atração e retenção de talentos

Como empresas e gestores podem assumir um papel mais proativo na atração de talentos em processos seletivos e na identificação de oportunidades vistas como salário emocional no trabalho.

Fatores que afetam o trabalho de cada pessoa

Você tem idéia de quanto tempo passa trabalhando?

Parou para refletir o que mais precisa ganhar trabalhando?

Você se indagou alguma vez, sobre o que faz um candidato no processo de recrutamento e seleção optar por uma empresa?

O estudo feito pela consultoria global Great Place to Work – Brasil, sobre as melhores empresas para se trabalhar em 2021, mostrou que elas usam diversas ações para engajamento e satisfação com o trabalho, para atrair  e reter colaboradores.  

Por outro lado, no atual momento econômico mundial, em que muitos indivíduos sequer têm emprego – o salário em dinheiro, continua sendo prioridade.

Entretanto, não estamos falando que as empresas que proporcionam salários ruins, devem contrabalançar isso, de outras formas.

Mas, necessitamos perceber o salário emocional oferecido por essas empresas como um diferencial, um agregador ao salário em dinheiro para atrair e reter talentos.

O que é salário emocional?

O salário emocional é a retribuição ou benefício não económico recebido pelos colaboradores de uma empresa para atender às suas necessidades pessoais.

Ao tomar consciência do salário emocional, o gestor pode ter um papel mais proativo na valorização dos seus colaboradores e na identificação de oportunidades para redefinir o trabalho de todos.

Afinal um gestor com autoconhecimento e autoconsciência em um mundo empreendedor disruptivo assegura adequadas qualidades para que uma empresa consiga atrair e reter talentos.

Contudo, as pequenas e médias empresas têm dificuldade de competir por salário, mas, têm um trunfo para reter talentos, que grandes empresas podem não ter — a proximidade emocional com os colaboradores.

O investimento que o mercado chama salário emocional é uma das formas de reter e, também, atrair talentos, ou seja, a recompensa não é física, mas, de natureza emocional — psicológica.

Pequenas ações podem fazer a diferença e muitas vezes requerem pouco investimento financeiro.

Por exemplo: um ambiente harmonioso, cursos, rodízio de funções, desafios, aprendizado contínuo na organização, um espaço de convivência para os colaboradores, entre outros.

Quando psicologicamente a pessoa entende que ela está se desenvolvendo, aprendendo, crescendo, então, ela percebe que tem valor e seu engajamento com a empresa aumenta.  

Portanto, para atração de talentos é importante colocar a empresa na vitrine, expondo os diferenciais e benefícios que ela oferece como salário emocional.

Ações para atrair talentos no processo seletivo

Além de promover um processo de seleção humanizado e averiguar se o candidato está alinhado com o propósito e com a cultura da organização, vamos considerar a possibilidade do salário emocional para atrair e reter talentos?

É importante lembrar que cada caso deve ser adaptado às características de cada empresa.

Se você quiser saber mais sobre este ou outros temas relacionados à área de recrutamento e seleção, visite www.mrojas.com.br.

A MRojas Talentos Humanos busca sempre criar oportunidades para uma vida melhor.

Eliana Ozores — Ma. em Comunicação — ECA/USP